Dicas de Sustentabilidade das Ações Sociais | Cake Comunicação Digital
Jundiaí-SP
+11 95302-3121
contato@cakecomunicacao.com.br

Dicas de Sustentabilidade das Ações Sociais

Consultoria em Marketing Digital

Resultado de imagem para açoes sociaisSustentabilidade das Ações Sociais

A sustentabilidade em Projetos Sociais é definida como a capacidade de gerar impactos duradouros em relação à situaçãodos grupos sociais beneficiários.

Fatores de Sustentabilidade:

Solidez da organização
Um projeto desenvolvido por organização com sólida cultura de ações bem planejadas e gerenciadas terá maior potencial de impacto.

Qualidade da equipe
Uma equipe qualificada ética, política, metodológica e tecnicamente qualificada tem melhores condições para inovar, para aprender com a experiência e alcançar seus objetivos.

Grau de conhecimento do contexto –diagnóstico
Quanto melhor for o diagnóstico específico e o conhecimento do contexto, menores os riscos de insucesso.

I – IDENTIFICAÇÃO
– Surge a oportunidade…
– E uma 1ª Idéia do Projeto
– Identificação da situação-problema
– Análise de potencial e viabilidade
– Identificação de parcerias potenciais
– Diagnóstico participativo (cadeia dashipóteses de causa – e – efeitoexplicativa da situação)

II – ELABORAÇÃO
1. Proposição dos objetivos
2. Formulação da estratégia
3. Definição das atividades
4. Proposição das metas e indicadores
5. Identificação dos fatores de risco
6. Elaboração do Plano Operacional e cronograma
7. Elaboração do Orçamento
8. Redação do projeto
9. Definição da estratégia de Mobilização de Recursos

III – EXECUÇÃO e GESTÃO
– Desenvolvimento das atividades
– Gerenciamento do projeto (equipe, estratégia,
atividades, custos e cronograma) com base
nos indicadores e seus meios de verificação.
– Busca de novos apoios e parcerias
– Elaboração de relatórios.

IV – AVALIAÇÃO
– Avaliação dos resultados, efeitos e indicativos de possível impacto do projeto.
– Re-planejamento, acompanhamento ou encerramento.

O que é Responsabilidade Social?

A responsabilidade social é quando empresas, de forma voluntária, adotam posturas, comportamentos e ações que promovam o bem-estar dos seus públicos interno e externo. É uma prática voluntária pois não deve ser confundida exclusivamente por ações compulsórias impostas pelo governo ou por quaisquer incentivos externos (como fiscais, por exemplo). O conceito, nessa visão, envolve o beneficio da coletividade, seja ela relativa ao público interno (funcionários, acionistas, etc) ou atores externos (comunidade, parceiros, meio ambiente, etc.).

Com o passar do tempo, tal concepção originou algumas variantes ou nuances. Assim, conceitos novos – muitas vezes complementares, distintos ou redundantes – são usados para definir responsabilidade social, entre eles Responsabilidade Social Corporativa (RSC), Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e Responsabilidade Social Ambiental (RSA).

A chamada RSC é, na maioria dos casos, conceito usado na literatura especializada sobretudo para empresas, principalmente de grande porte, com preocupações sociais voltadas ao seu ambiente de negócios ou ao seu quadro de funcionários. O conceito de RSE, ainda que muitos vejam como sinônimo de RSC, tende a envolver um espectro mais amplo de beneficiários (stakeholders), envolvendo aí a qualidade de vida e bem estar do público interno da empresa, mas também a redução de impactos negativos de sua atividade na comunidade e meio ambiente. Na maioria das vezes tais ações são acompanhadas pela adoção de uma mudança comportamental e de gestão que envolve maior transparência, ética e valores na relação com seus parceiros.


Fábio Eon, co-fundador da ResponsabilidadeSocial.com,
explica o que é responsabilidade social.

Por fim, o conceito de Responsabilidade Social Ambiental (RSA), talvez mais atual e abrangente, ilustra não apenas o compromisso de empresas com pessoas e valores humanos, mas também preocupações genuínas com o meio ambiente. Independentemente de que linha ou conceituação utilizar, fica evidente que empresas variam bastante – o que muitas vezes é natural e reflete sua vocação como negócio – na prioridade a ser dada a questões socioambientais, às vezes focando em certos públicos em detrimento de outras ações sociais igualmente relevantes.

Críticas em relação ao papel das empresas na responsabilidade social

É importante frisar que o conceito não deve ser confundido com filantropia ou simples assistência social. Aqui, na lógica do “é melhor ensinar a pescar, do que dar o peixe”, entende-se responsabilidade social como um processo contínuo e de melhoria da empresa na sua relação com seus funcionários, comunidades e parceiros. Não há viés assistencialista uma vez que há uma lógica embutida de desenvolvimento sustentável e crescimento responsável. A maior parte das empresas que adotam postura socialmente responsáveis auferem um crescimento mais sustentável, ganhos de imagem e visibilidade e são menos propícias a litígios ou problemas judiciais.

http://www.responsabilidadesocial.com/o-que-e-responsabilidade-social/